quarta-feira, 14 de maio de 2014

LEMBRETES OPORTUNOS




"Aprendamos a dividir a própria felicidade para que a felicidade dos outros se multiplique. Auxiliar alguém é fazer o investimento da verdadeira alegria e toda alegria no exercício do bem é dom de vida e luz que nos aproxima de Deus."
-Emmanuel-

"Ampara, alivia, ilumina e socorre sempre. Todo auxílio na obra do bem é uma prece silenciosa. E toda vez que auxilias, o anjo da caridade está perto, orando também por ti."
-Meimei-

"Para garantir saúde e equilíbrio, prometa a você mesmo: Colocar-se sob a vontade de Deus, cada dia, através da oração, e sustentar a consciência tranqüila, preservando-se contra idéias de culpa;
 viver trabalhando e estudando, agindo e construindo,(...)
de tal modo que não se veja capaz de encontrar as falhas prováveis e os erros possíveis dos outros."
-André Luiz-

"Não mostre rosto triste. Muita gente precisa de sua alegria para levar alegria aos outros. Ainda mesmo na doença mais grave ou na penúria avançada, você pode prestar um grande serviço ao próximo: você pode sorrir." 
-Emmanuel-

"Queiras ou não, onde estiveres, dás e recebes, conforme as leis do espírito. Sentimentos inspiram idéias; idéias suscitam palavras; palavras estabelecem ações; ações criam destinos. Tudo o que fazes é plantação, atraindo resultados. É necessário otimismo e paz interior, para que irradies, a benefício dos outros e, conseqüentemente de ti mesmo, a tranqüilidade e a alegria de viver" -Emmanuel-

"Não basta pedir para receber; não vale unicamente aguardar a fim de encontrar. A súplica sem trabalho costuma degenerar-se em ociosidade. E a esperança que não opera acaba sendo inércia."
-Emmanuel-

(Psicografia de Chico Xavier)

PROJETO VAGA-LUME PROMOVERÁ SEMINÁRIO ESPÍRITA EM TUPARETAMA NESTE MÊS DE MAIO




terça-feira, 4 de março de 2014

CARTÕES ESPÍRITAS - Mensagens para nossa reflexão





OS INFORTÚNIOS OCULTOS

Nas grandes calamidades, a caridade se emociona e observam-se impulsos generosos, no sentido de reparar os desastres. Mas, a par desses desastres gerais, há milhares de desastres particulares, que passam despercebidos: os dos que jazem sobre um grabato sem se queixarem. Esses infortúnios discretos e ocultos são os que a verdadeira generosidade sabe descobrir, sem esperar que peçam assistência. 

Quem é esta mulher de ar distinto, de traje tão simples, embora bem cuidado, e que traz em sua companhia uma mocinha tão modestamente vestida? Entra numa casa de sórdida aparência, onde sem dúvida é conhecida, pois que à entrada a saúdam respeitosamente. Aonde vai ela? Sobe até a mansarda, onde jaz uma mãe de família cercada de crianças. 

À sua chegada, refulge a alegria naqueles rostos emagrecidos. E que ela vai acalmar ali todas as dores. Traz o de que necessitam, condimentado de meigas e consoladoras palavras, que fazem que os seus protegidos, que não são profissionais da mendicância, aceitem o benefício, sem corar. O pai está no hospital e, enquanto lá permanece, a mãe não consegue com o seu trabalho prover às necessidades da família. 

Graças à boa senhora, aquelas pobres crianças não mais sentirão frio, nem fome; irão à escola agasalhadas e, para as menorzinhas, o leite não secará no seio que as amamenta. Se entre elas alguma adoece, não lhe repugnarão a ela, à boa dama, os cuidados materiais de que essa necessite. Dali vai ao hospital levar ao pai algum reconforto e tranqüilizá-lo sobre a sorte da família. 

No canto da rua, uma carruagem a espera, verdadeiro armazém de tudo o que destina aos seus protegidos, que todos lhe recebem sucessivamente a visita. Não lhes pergunta qual a crença que professam, nem quais suas opiniões, pois considera como seus irmãos e filhos de Deus todos os homens. Terminado o seu giro, diz de si para consigo: Comecei bem o meu dia. 

Qual o seu nome? Onde mora? Ninguém o sabe. Para os infelizes, é um nome que nada indica; mas é o anjo da consolação. A noite, um concerto de benções se eleva em seu favor ao Pai celestial: católicos, judeus, protestantes, todos a bendizem. Por que tão singelo traje? Para não insultar a miséria com o seu luxo. Por que se faz acompanhar da filha? Para que aprenda como se deve praticar a beneficência. A mocinha também quer fazer a caridade. A mãe, porém, lhe diz: "Que podes dar, minha filha, quando nada tens de teu? Se eu te passar às mãos alguma coisa para que dês a outrem, qual será o teu mérito? Nesse caso, em realidade, serei eu quem faz a caridade; que merecimento terias nisso? Não é justo. Quando visitamos os doentes, tu me ajudas a tratá-los. Ora, dispensar cuidados é dar alguma coisa. Não te parece bastante isso? Nada mais simples. Aprende a fazer obras úteis e confeccionarás roupas para essas criancinhas. Desse modo, darás alguma coisa que vem de ti." 

É assim que aquela mãe verdadeiramente cristã prepara a filha para a prática das virtudes que o Cristo ensinou. E espírita ela? Que importa! Em casa, é a mulher do mundo, porque a sua posição o exige. Ignoram, porém, o que faz, porque ela não deseja outra aprovação, além da de Deus e da sua consciência. 

Certo dia, no entanto, imprevista circunstância leva-lhe a casa uma de suas protegidas, que andava a vender trabalhos executados por suas mãos. Esta última, ao vê-la, reconheceu nela a sua benfeitora. "Silêncio! ordena-lhe a senhora. Não o digas a ninguém." Falava assim Jesus. 

Allan Kardec. 
Da obra: O Evangelho Segundo o Espiritismo.

domingo, 16 de fevereiro de 2014

MENSAGENS ESPÍRITAS . ENVIE UM CARTÃO PARA ALGUEM ESPECIAL





DIFERENTES CATEGORIAS DE MUNDOS HABITADOS

Do ensino dado pelos Espíritos, resulta que muito diferentes umas das outras são as condições dos mundos, quanto ao grau de adiantamento ou de inferioridade dos seus habitantes. 

Entre eles há-os em que estes últimos são ainda inferiores aos da Terra, física e moralmente; outros, da mesma categoria que o nosso; e outros que lhe são mais ou menos superiores a todos os respeitos. 

Nos mundos inferiores, a existência é toda material, reinam soberanas as paixões, sendo quase nula a vida moral. A medida que esta se desenvolve, diminui a influência da matéria, de tal maneira que, nos mundos mais adiantados, a vida é, por assim dizer, toda espiritual. 

Nos mundos intermédios, misturam-se o bem e o mal, predominando um ou outro, segundo o grau de adiantamento da maioria dos que os habitam. Embora se não possa fazer, dos diversos mundos, uma classificação absoluta, pode-se contudo, em virtude do estado em que se acham e da destinação que trazem, tomando por base os matizes mais salientes, dividi-los, de modo geral, como segue: 
  • mundos primitivos, destinados às primeiras encarnações da alma humana; 
  • mundos de expiação e provas, onde domina o mal; 
  • mundos de regeneração, nos quais as almas que ainda têm o que expiar haurem novas forças, repousando das fadigas da luta; 
  • mundos ditosos, onde o bem sobrepuja o mal; 
  • mundos celestes ou divinos, habitações de Espíritos depurados, onde exclusivamente reina o bem. 

A Terra pertence à categoria dos mundos de expiação e provas, razão por que aí vive o homem a braços com tantas misérias. Os Espíritos que encarnam em um mundo não se acham a ele presos indefinidamente, nem nele atravessam todas as fases do progresso que lhes cumpre realizar, para atingir a perfeição. 

Quando, em um mundo, eles alcançam o grau de adiantamento que esse mundo comporta, passam para outro mais adiantado, e assim por diante, até que cheguem ao estado de puros Espíritos. São outras tantas estações, em cada uma das quais se lhes deparam elementos de progresso apropriados ao adiantamento que já conquistaram. 

É-lhes uma recompensa ascenderem a um mundo de ordem mais elevada, como é um castigo o prolongarem a sua permanência em um mundo desgraçado, ou serem um relegados para outro ainda mais infeliz do que aquele a que se vêem  impedidos de voltar quando se obstinaram mal. 

Allan Kardec
Da obra: O Evangelho Segundo o Espiritismo.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

PARE PARA VER, OUVIR E ENRIQUECER SEU ESPÍRITO: DUAS PALESTRAS ESPÍRITAS

"Uma lição para não ser esquecida", palestra com a oradora Ana Jaicy Guimarães (Rio de Janeiro) realizada no dia 24 de setembro de 2011 na Sociedade Espírita Allan Kardec na cidade de Jales-SP
SOBRE MEDIUNIDADE - Palestra de Anete Guimarães proferida em agosto de 2011 na 7ª Semana Espírita em Vila Velha.

PARA REFLEXÃO - OPORTUNIDADE E DESAZO

Queixas-te, amargurado, ante os problemas que se sucedem, considerando não teres sido aquinhoado com ensejos de ventura e triunfo de que outros se beneficiam. As tuas hão sido lutas sem quartel, provocadoras de desatinos que te estiolam os propósitos de enobrecimento. 

Os dias se sucedem cansativos debilitando as tuas fibras morais de tal modo que, mesmo emulado a uma salutar reação não te dispões concretá-la. Paisagens cinzas, agitadas pelas tormentas desanimadoras constituem os horizontes do teu caminho. Desaires e pessimismo são os estados dalma que assinalam a marcha. 

Outrora sonhavas; agora defrontas pesadelos. 
Antes crias; ora te açoitam as dúvidas. 
A princípio sorrias; depois sulcaste a face coma dureza de expressão. 
Ontem o entusiasmo te esflorava as aspirações; hoje a visão da esperança recobre-se de amargura. 

Atabalhoado com os resultados a que chegas, estás sem rumo e interrogas: "Que fazer?" 
Só há uma opção: seguir adiante, colocando o sol d'alegria na penumbra das dores. 

Nem tudo, porém, aconteceu, conforme te parece. Erras no conceito com que interpretas a vida, como te equivocaste nas atitudes assumidas. Ideal e ação, palavra e vida são situações mui diversas. Imperioso discernir com lucidez para acertar com segurança. 

Quando as concessões da juventude te exornavam o corpo, assumiste compromissos perniciosos e gastaste as energias no jogo ilusório do prazer imediato. Nos períodos de paz esqueceste da elaboração de um programa de trabalho primoroso, entregando-te ao repouso, desconcertante. 

Às aquisições significativas em formas de amizades, afeições, estudo, meditação, operosidade cristã, intercâmbio fraterno, preferiste outros valores... Natural que defrontes o vazio refertando o íntimo e as dificuldades tornando-se impedimentos por fora. 

Expulsa a nuvem da queixa e oferta-te a bênção lenificadora de um ponderado reexame com nova disposição. Sempre é hoje, o momento precioso para um recomeço santificando, assim, as horas que ainda terás. Não o proteles, arrimado à cruz inútil da autocomiseração. 

A oportunidade perdida, mesmo quando se repete, já não são as mesmas as circunstâncias e condições... 

Era uma voz e um exemplo. Palavras felizes e atitudes superiores. Idealismo abrasante e dedicação integral. Amor insuperável e dever imperioso. Com essas insígnias Jesus mudou as rotas do pensamento humano; não obstante sofreu as mais pérfidas humilhações que culminaram numa cruz de desprezo que Ele santificou e num tumulto vazio, como portal de incomparável liberdade para todos nós. 


Franco, Divaldo Pereira. 
Da obra: Celeiro de Bênçãos. 
Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis

domingo, 5 de janeiro de 2014

TEXTO PARA REFLEXAO - Abra seu coração

Do site MOMENTO ESPÍRITA

A sala estava repleta de convidados, todos curiosos para ver a obra de arte, ainda oculta sob o pano branco. Falava-se que o quadro era lindo. As autoridades do local estavam presentes, entre fotógrafos, jornalistas e outros convidados porque o pintor era, de fato, muito famoso. 

Na hora marcada, o pano que cobria a pintura foi retirado e houve caloroso aplauso. O quadro era realmente impressionante. Tratava-se de uma figura de Jesus, batendo suavemente na porta de uma casa. O Cristo parecia vivo. 

Com o ouvido junto à porta, Ele desejava ouvir se lá dentro alguém respondia. Houve discursos e elogios. Todos admiravam aquela obra de arte perfeita. Contudo, um observador curioso achou uma falha grave no quadro: a porta não tinha fechadura. 

Dirigiu-se ao artista e lhe falou com interesse: A porta que o senhor pintou não tem fechadura. Como é que o Visitante poderá abri-la? É assim mesmo, respondeu o pintor calmamente. A porta representa o coração humano, que só abre pelo lado de dentro. 

 * * * 
Muitas vezes mal interpretado, outras tantas, desprezado, grandemente ignorado pelos homens, o Cristo vem tentando entrar em nossa casa íntima há mais de dois milênios. Conhecedor do caminho que conduz à felicidade suprema, Jesus continua sendo a Visita que permanece do lado de fora dos corações, na tentativa de ouvir se lá dentro alguém responde ao Seu chamado. 

Todavia, muitos O chamamos de Mestre mas não permitimos que Ele nos ensine as verdades da vida. Grande quantidade de cristãos fala que Ele é o médico das almas, mas não segue as Suas prescrições. Tantos dizem que Ele é o irmão maior, mas não permitem que coloque a mão nos seus ombros e os conduza por caminhos de luz... Talvez seja por esse motivo que a Humanidade se debate em busca de caminhos que conduzem a lugar nenhum. 

Enquanto o Cristo espera que abramos a porta do nosso coração, nós saímos pelas janelas da ilusão e desperdiçamos as melhores oportunidades de receber esse Visitante ilustre, que possui a chave que abre as portas da felicidade que tanto desejamos.

E se você não sabe como fazer para abrir a porta do seu coração, comece por fazer pequenos exercícios físicos, estendendo os braços na direção daqueles que necessitam da sua ajuda. Depois, faça uma pequena limpeza em sua casa íntima, jogando fora os detritos da mágoa, da incompreensão, do orgulho, do ódio... Em seguida, busque conhecer a proposta de renovação moral do Homem de Nazaré. 

Assim, quando você menos esperar, Ele já estará dentro do seu coração como convidado de honra, para guiar seus passos na direção da luz, da felicidade sem mescla que você tanto deseja. 

* * * 

O olhar de Jesus dulcificava as multidões. Seus ouvidos atentos descobriam o pranto oculto e identificavam a aflição onde se encontrasse. Sua boca, plena de misericórdia, somente consolou, cantando a eterna sinfonia da Boa Nova em apelo insuperável junto aos ouvidos dos tempos, convocando o homem de todas as épocas à conquista da felicidade. 

Redação do Momento Espírita, com base no verbete Jesus, 
do livro Repositório de sabedoria, v. 2, 
pelo Espírito Joanna de Ângelis, 
psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. LEAL 
e história de autoria ignorada. 

MENSAGENS ESPÍRITAS - Cartões para iluminar seu dia




VÍDEO- A MORTE DE DIMAS - O PROCESSO DE DESENCARNAÇÃO - Caso de André Luiz - Curta Metragem Espírita

Related Posts with Thumbnails

IMAGENS DE TUPARETAMA